01 setembro 2012

Resenha: A Menina Que Roubava Livros


Hey peoples!

Como vão?

Hoje estou hiper feliz, mas infelizmente(ou não), vamos falar de um livro bem triste.



A Menina Que Roubava Livros é um livro um tanto quanto peculiar. Sentir-se oprimido ao lê-lo não é difícil, pelo contrário, é bem fácil. O Livro é, porém, muito reflexivo.
Com sua poesia e arte, Markus Zusak nos leva até a Alemanha hitlerista, onde uma inocente menina, Liesel, vê com os próprios olhos a carnificina da guerra da época. Liesel é salva pela sua paixão por livros, ela encanta pessoas a encanta amigos por onde passa, tudo isso, escondendo seu ódio pelo führer, o tão idolatrado Hitler.

Sinopse: Entre 1939 e 1943, Liesel Meminger encontrou a morte três vezes. E saiu suficientemente viva das três ocasiões para que a própria, de tão impressionada, decidisse nos contar sua história, em 'A menina que roubava livros'. Desde o início da vida de Liesel na rua Himmel, numa área pobre de Molching, cidade próxima a Munique, ela precisou achar formas de se convencer do sentido de sua existência. Horas depois de ver seu irmão morrer no colo da mãe, a menina foi largada para sempre aos cuidados de Hans e Rosa Hubermann, um pintor desempregado e uma dona-de-casa rabugenta. Ao entrar na nova casa, trazia escondido na mala um livro, 'O manual do coveiro'. Num momento de distração, o rapaz que enterrara seu irmão o deixara cair na neve. Foi o primeiro dos vários livros que Liesel roubaria ao longo dos quatro anos seguintes. E foram esses livros que nortearam a vida de Liesel naquele tempo, quando a Alemanha era transformada diariamente pela guerra, dando trabalho dobrado à Morte. O gosto de roubá-los deu à menina uma alcunha e uma ocupação; a sede de conhecimento deu-lhe um propósito. E as palavras que Liesel encontrou em suas páginas e destacou delas seriam mais tarde aplicadas ao contexto da sua própria vida, sempre com a assistência de Hans, acordeonista amador e amável, e Max Vanderburg, o judeu do porão, o amigoquase invisível de quem ela prometera jamais falar. Há outros personagens fundamentais na história de Liesel, como Rudy Steiner, seu melhor amigo e o namorado que ela nunca teve, ou a mulher do prefeito, sua melhor amiga que ela demorou a perceber como tal.

Deixo com vocês meu depoimento sobre o livro. Aproveitem e prestem bastante atenção às minha palavras, ok?



Na parte de trás do livro, está escrito o seguinte: “Quando a morte conta uma história, você deve parar para ler”

Diferente, não?

A história de uma menina, narrada pela morte! É algo incrível de se ver. Segundo a morte, são poucas as vezes que ela se encanta com humanos como ela se encantou com Liesel.

É uma história incrível, que realmente vale a pena ler. Não se deixem desanimar pelo meu discurso acima, apenas deixe-se levar pela história e descubra a verdade sobre a Alemanha hitlerista, sobre a carnificina da época e da união que as famílias mais pobres provavam, quando mais precisavam. Mas leiam com calma, ok?

Beiijos e até a próxima!

Onde Comprar


Submarinohttp://www.submarino.com.br/produto/5658410/livros/didaticos/ensinomedioliter...

Livraria da Travessa: http://www.travessa.com.br/A_MENINA_QUE_ROUBAVA_LIVROS/artigo/aec36e33-38ec-4...

Saraiva: http://www.livrariasaraiva.com.br/produto/1658571/a-menina-que-roubava-livros/

2 comentários:

Baby Suh BR disse...

Já li várias resenhas a respeito do livro, mas sempre fui reticente em lê-lo. Eu não gosto de livros com fundos de verdade e que sei que irão acabar mal por causa do sentimento que deixa quando se termina. É um sentimento que eu sei que NUNCA irá sair de dentro de mim pq foi uma realidade vivida -mesmo q até certo ponto fantasiada por uma história- e isso deixa marcas profundas e dá mto q pensar. Se eu já sei ler esses vereditos penso demasiado, qd os leio fico tão revoltada e enraivecida com o mundo que até chego a chorar de nervoso.
Gosto de saber que existem livros assim, mas não tenho coragem de lê-los.
Adorei a resenha. Falou mto bem!
bjos

Binhablack disse...

Adooorei a resenha!!
E pelo visto esse livro é bem comovente. Com certeza vou ler, fiquei ainda mais curiosa depois dessa resenha.
Bjsss!!!